pesquisar neste blog

sábado, março 6

Vinil, Rotina e a Fé

Não há como fortalecer seu espírito, sem estar preso a uma fé. Religião é algo muito intrínseco, e as pessoas precisam respeitar cada comunidade, seus idealizadores, as pessoas precisam também entender a importância de cada grupo religioso, para então entender o conceito da fé.
Fé não é encontrada por milhares de pessoas neste mundo. Escutamos absurdos a respeito da existência de Deus e as provações que passamos, perguntas que surgem no desespero de cada vítima incrédula nas suas dores.
Rotina é algo que não é bem visto, vivido depois de uma falta em nossas vidas. A sua importância é banalizada, desprezada, rejeitada, dependendo de cada sofrimento.
Mas aí a importância da sociabilidade, da renovação dos conceitos que precisam ser revistos para modificar uma situação atípica e fortalecer decisões para compreender o significado da Rotina.
A Rotina pode ser comparada a um Vinil rodando as mesmas músicas. Mas o Velho Vinil que roda, pode ser muito valorizado em diversos lugares no mundo, ser desejado, tem pessoas que desejam um Vinil, aquele que faria mais uma parte de sua história musical.
O Vinil, a Vida velha, a dor que fica para trás, pode ser escutada e admirada diferentemente por cada indivíduo.
Aí a importância da sociabilidade, fortalecer os laços com pessoas que te querem ver Feliz e Bem.
Aí a importância de escutar o Vinil várias vezes, entender seu valor como pessoa e sua representação social,
Viver sua Rotina, revendo seus conceitos e suas prioridades nesta Vida.

O Livro e O Giz

Eu sou mãe de um só filho, Deus me alegrou com a chegada da minha filha, mas ela nasceu um pouco antes do previsto e aí algumas coisas em minha vida mudaram para melhor, algumas coisas precisei renunciar. Não é fácil a mudança, mas fiz dela um dia após o outro depois de uma longa viajem, vivendo um problema por cada vez. Precisei de ajuda para enfrentar também alguns questionamentos e assim tentei conciliar cada novidade ou mudança, extraindo o melhor de cada momento bom ou ruim.
Em cada situação aprendemos muito com os filhos, na angústia vivi intensamente a minha personalidade, e depois percebi a importância dos resultados e a origem das dores. Tentei na busca incessante o autocontrole para amadurecer.
Lembro de momentos, em que o aperto material parecia ser grande, e eu tentava fazer do banho da minha filha uma descontração para nós duas, apresentava-lhe um livrinho de banheira desde meses, creio que logo após que aprendeu a sentar e aí quando menos esperei aos oito meses ou nove ela já dizia palavras dissílabas.
E aí introduzi giz de cera, aqueles que não quebram ao cair no chão, Faber Castel, e foi uma maravilha, adorava estar com eles.
Hoje Isabel já fez a cirurgia do problema de saúde dela, isso foi aos três anos e nove meses, esperamos e não dormimos muitas noites por causa disso.
Quando penso nesse tempo, tenho a sensação que tudo que passei foi muito bom para todos, aprendemos mais, algumas coisas que precisavam solidificar em minha família.
E ainda não tenho saudades, lógico, porém os momentos do Livro e do Giz fortaleceram valores em Isabel desde então.
Ela é uma criança, que tem uma comunicação muito boa e não tem dificuldades em entender a importância dos seus sentidos.

Tradução

GLOB

Pensador.info

Adscense